Tribuna Livre reitera preocupação com a instalação da Barragem de Rejeitos

por Adriano Silva publicado 17/12/2019 08h34, última modificação 18/12/2020 07h15

A população se mantém preocupada com a eminência da construção de uma barragem de rejeitos na região e o silêncio da BAMIN (Bahia Mineração). Na tribuna de ontem (22 de abril) fez uso da palavra o Cirurgião Dentista, militar e pecuarista, Evilásio Bonfim, e na oportunidade solicitou agilidade na realização de uma audiência pública com a BAMIN.

 Ele salientou que a população não é contra a construção da barragem, entretanto destaca que todo procedimento seja transparente, e que o local não ofereça riscos a população guanambiense. “Nós seremos a cidade mais prejudicada em um possível dano na estrutura da barragem da BAMIN, a nossa cidade está na linha dos rejeitos, colocando em risco nossas vidas”, destacou.

 A audiência pública foi objeto de solicitação por parte da Vereadora Maria Sílvia (Lilia) em seção anterior, tendo o Presidente da Câmara Zaqueu Rodrigues encaminhado ofício a BAMIN, que ainda não indicou data para realização da audiência pública em Guanambi.

 A barragem de rejeitos que a BAMIN pretende construir no leito do Riacho Pedra de Ferro, localizada na divisa dos municípios de Caetité e Pindaí, terá capacidade de acondicionar 180 milhões de metros cúbicos de rejeitos, ou seja, maior que a barragem de Ceraíma em Guanambi e com espaço comparado de 55 estádios de futebol.

 Em nota, a empresa ainda afirma que uma área de 430 hectares de terra será ocupada quando estiver em sua capacidade máxima de produção e que o projeto batizado de Mina Pedra de Ferro, irá gerar 1.500 empregos diretos, podendo chegar ao número de 20 mil indiretos.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.